A REAÇÃO DA IGREJA DIANTE DA PERSEGUIÇÃO

A REAÇÃO DA IGREJA DIANTE DA PERSEGUIÇÃO – Autoria: Pastor José Carlos

ATOS 4:23-31

“E soltos eles, foram para os seus, e contaram tudo o que lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos. Ao ouvirem isto, levantaram unanimemente a voz a Deus e disseram: Senhor, tu que fizeste o céu, a terra, o mar, e tudo o que neles há;  que pelo Espírito Santo, por boca de nosso pai Davi, teu servo, disseste: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs?  Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram- se à uma, contra o Senhor e contra o seu Ungido.  Porque verdadeiramente se ajuntaram, nesta cidade, contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, não só Herodes, mas também Pôncio Pilatos com os gentios e os povos de Israel;  para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho predeterminaram que se fizesse.   Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falam com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Servo Jesus. E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus”.

 I –FORAM CONGREGAR (v.23a) “E soltos eles, foram para os seus,”

A primeira reação dos apóstolos foi ir à procura dos “seus

Eles tinham o sentimento de se pertencerem

Eles tinham a postura de viverem como família

Eles tinham o prazer de estarem juntos

  1. FORAM COMPARTILHAR (23b) “… e contaram tudo o que lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos.” 

Eles tinham o prazer de relatarem suas experiências próprias com os irmãos de fé

Eles sentiram a necessidade de dividir com a igreja o que tinha acontecido

Eles queriam que toda a igreja fizesse parte da experiência que tiveram

Eles tinham o hábito de compartilhar as alegrias como também as tristezas e dificuldades

III. FORAM ORAR (v.24) “Ao ouvirem isto, levantaram unanimemente a voz a Deus e disseram: Senhor, tu que fizeste o céu, a terra, o mar, e tudo o que neles há; ”.

Eles exaltam a Deus pelo Seu poder demonstrado na criação (v.24)

Eles exaltam a Deus pelo Seu poder de manter o controle do curso da História (vs. 25-28)

Eles reconhecem que a perseguição estava dentro do cumprimento das Escrituras (vs. 25,28)

Eles pedem a intervenção de Deus diante das ameaças sofridas (v.29a)

Eles pedem intrepidez para continuarem pregando a Palavra (v. 28)

Eles pedem que Deus autentique a pregação da Palavra por meios de sinais (v.30)

IV FORAM CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO (v.31a) “E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo,”.  Deus protocolou a oração deles fazendo o local tremer com Sua presença. (31a)

Deus autenticou a oração deles enchendo-os com o Espírito Santo (v. 31b)

  1. CONTINUAM A PREGAÇÃO DA PALAVRA (v.31b) “e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus.”

As ameaças que sofreram não os detiveram

A perseguição não ofuscou a pregação que resultou em conversão

COMO VIVIAM OS PRIMEIROS CRISTÃOS  

Atos 4:32-37

Da multidão dos que criam, era um só o coração e uma só a alma, e ninguém dizia que coisa alguma das que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.   Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.  Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos.  E se repartia a qualquer um que tivesse necessidade.  Então José, cognominado pelos apóstolos Barnabé (que quer dizer, filho de consolação), levita, natural de Chipre,  possuindo um campo, vendeu-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos.   

  ERA UMA COMUNIDADE GRANDE SEM SE PERDER NA GRANDEZA

  • 32 Da multidão dos que criam, era um só o coração e uma só a alma, e ninguém dizia que coisa alguma das que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns . 
  1. Uma multidão que não se esquecia das pequenas coisas
  2. Uma multidão que conseguia enxergar as necessidades de todos (v. 34)
  1. ERA UMA MULTIDÃO PRESERVANDO A COMUNHÃO

32 Da multidão dos que criam, era um só o coração e uma só a alma, e ninguém dizia que coisa alguma das que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.   

  1. Uma multidão com um só coração – Comunhão de sentimentos e emoções
  2. Uma multidão com uma só alma – Comunhão de vontade e propósitos

III. ERA UMA COMUNIDADE SOLIDÁRIA

  • 34 Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos.   
  1. Entendiam que seus pertences pertenciam a todos (v. 32b)
  2. Repartiam seus bens entre os necessitados

 ERA UMA COMUNIDADE EVANGELÍSTICA

33 Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.

  1. Eles faziam de seu estilo de vida se testemunho pessoal
  2. Eles Testemunham de Jesus com prazer e alegria

 ERA UMA COMUNIDADE QUE RESPEITAVA E CONFIAVA EM SEUS LÍDERES

34 Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos.   

37 possuindo um campo, vendeu-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos.   

  1. Seus líderes eram homens confiáveis e respeitados
  2. Eles respeitavam e confiavam em seus lideres
A REAÇÃO DA IGREJA DIANTE DA PERSEGUIÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo